Este blog não aderiu ao Novo Acordo Ortográfico!

terça-feira, 17 de junho de 2014

A propósito de snobs literários

Começo por pedir desculpa pela formatação deste post. Não sei o que se passou aqui e sempre que tento corrigir o blogger dá erro! Espero que o conteúdo compense pela apresentação :S

Ontem à tarde andava a passear pela blogosfera, quando encontrei este texto com o qual me identifiquei de imediato. De certeza que todos nós nos cruzamos com uns snobs que pensam sempre que são melhores que nós, e que são mais cultos e que lêem livros melhores... Tudo isto com uma boa dose de falta de modéstia. 

Deixo-vos um excerto do texto, escrito pela Aurora, do blog Ode à Rotina:


"Gosto muito de falar sobre livros em contextos mais descontraídos como no Tumblr ou redes sociais do género. Não gosto tanto de falar de livros com quem se entende por conhecedor de literatura - e olhem que as percepções que temos acerca de nós mesmos quase nunca correspondem à realidade; já tentei procurar por grupos de discussão portugueses no goodreads e desiludi-me bastante.
Não tenho nada contra professores e doutores, entenda-se. Tiro até especial prazer das conversas de alguns adultos com uma bagagem literária mais extensa do que a minha, mas não suporto snobs literários. (...)"

Podem ler o texto na íntegra aqui!, bem como os respectivos comentários que também são interessantes. E já agora, o que têm a dizer sobre este assunto? 

Pessoalmente, posso dizer que não suporto pessoas que não deixam espaço, numa conversa ou numa discussão (como queiram chamar-lhe), para a opinião de outras pessoas. Geralmente porque estão tão cheios de si, que qualquer outra opinião diferente da sua é inferiorizada e posta de parte. Eu não leio por competição. Faço-o por prazer, pura e simplesmente. Tal como também gosto de discutir aquilo que leio com amigos, porque acaba sempre por surgir sugestões deste ou daquele livro que também se poderá gostar, e aos poucos vamos alargando os nossos horizontes literários. Não o faço para que me digam que a minha opinião não presta, ou que os meus gostos literários não prestam, como às vezes acabamos por ouvir, directa ou indirectamente. É a minha opinião, vale o que vale, tal como qualquer outra opinião que surja numa discussão.

Eu sou fã de literatura policial, mas leio de tudo um pouco. Desde fantástico, romance, romance histórico, consoante seja o estado de espírito na altura de escolher a próxima leitura. Se bem que os livros que estão no meu Top 10 não são todos de género policial. Posso também dizer-vos que, apesar de ter crescido num ambiente em que ninguém tinha o hábito de pegar num livro, sempre gostei de o fazer. Só não o fazia de forma assídua. 

Apanhei o bichinho com o meu ex, que lia muito e nunca estava muito tempo sem ter um livro por perto. Foi ele que me deu a conhecer alguns dos escritores que hoje leio com frequência e de que gosto bastante. Murakami, Zafón, Stieg Larson, Lars Kepler, Suzanne Collins... Só que ele era um snob. Não só de literatura, mas de tudo o que se possa considerar cultura. O rapaz era entendido em tudo. E sim, é verdade que ele até falava bem de tudo um pouco, mas faltava-lhe o mais importante: humildade. Tanto que ele não me misturava com os seus amigos snobs e mais tarde percebi porquê!

Terminámos o namoro (por decisão dele) e passaram-se alguns meses até que ele descobriu que eu tinha encontrado outra pessoa. Não percebi porquê mas parece que o rapaz não gostou que eu tivesse seguido com a minha vida e nessa altura aproveitou para me dizer que eu era de uma "cultura inferior" e que ele "lia Herberto Helder e clássicos". 

E pronto, é por isto que eu não suporto snobs literários... 

(Não sei se a pessoa tem conhecimento deste blog, mas calculo que dar importância a pessoas que cultura inferior não faça parte dos seus hábitos, por isso acho que estou safa)

11 comentários:

  1. Oh, pessoas snobs NÃO! Não é só o problema com a literatura, é com tudo. Haja paciência. Fizeste mt bem em seguir a tua vida! ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este rapaz de que falo também era entendido em tudo em geral. Era daquele tipo de pessoas que não falava de filmes pelos seus títulos, mas sim pelos seus produtores e realizadores. E andava ali às voltas, a referir as pessoas importantes das fichas técnicas, como que a gozar com os comuns mortais que não sabiam do que ele estava a falar. Enfim...

      Eliminar
  2. Bah, snobs! Há uma snob literária que me põe os cabelo em pé. Depois explico-te quem é, mas vou falar-te da minha experiência.
    -Como foi uma pessoa que me aconselhou livros há uns anitos atrás, de vez em quando embirrava com as minhas leituras. Há 2 anos, qd acabei o curso, li o "Rainha Branca" e delirei com o livro. A pessoa em questão detesta a autora do livro. Uns tempos depos desse comecei a ler um romancezeco para distrair. Comentário dela? "Andas a ler muitos livros de princesas...";
    - emprestou-me o "os homens que odeiam as mulheres". Como não achei piada à leitura depressa lho devolvi sem o ler todo (nem sei se cheguei à metade). Barafustou comigo que o devia ter lido, que "é um livro que toda a gente leu. Mas deixa, quando o discutires com alguém sobre alguma das personagens pode sempre ir à internet procurar o resumo". (lol)
    Giro é que uma vez lhe falei de Murakami e nem reconheceu o nome... Paragem no tempo? Uma snob a quem só interessa o que ela gosta. Enfim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai Su... grande snob.... Eu sei que em relação ao Murakami, há muitos que adoram (tipo eu) como há muitos que odeiam. É assim de extremos. Mas bem ao mal, de certeza que quem esteja minimamente a par dos livros que vão saindo já ouviu falar neste escritor. Se calhar é mesmo isso, só se interessa pelo que gosta e é tão culta (not!) que nem se interessa em conhecer coisas novas... A (pouca) cultura que tem chega-lhe.

      Agora fiquei com curiosidade de saber quem será a peça LOL

      Quanto aos Homens que Odeiam as Mulheres, também me foi sugerido pelo meu ex e já o comprei e tudo. Só não comecei a ler ainda porque não calhou, mas pode bem acontecer que eu não goste... Ou até que adore e depois to vá impingir. Epa, mas disse-te para leres os resumos pra poderes falar no livro quando calha em conversa?? Bem....

      Olha, outro exemplo: também não gostaste do primeiro livro dos jogos da fome. Eu devorei os 3 livros de seguida e depois fui impingir-to. Mas eu já sei que não gostaste, não te vou criticar nem te vou deixar de falar por isso LOL

      Eu sei, sou tão boa amiga :P

      Eliminar
    2. Ahahah Pois, lá está! Acho que há que saber aceitar o que a outra pessoa gosta. Gostos são gostos e cada um com o seu. Não me importo que me aconselhem livros uma e outra, e outra vez (como tu :p heheheh) mas não me ataquem o gosto lol

      Eliminar
    3. Já agora, oh, spi, estou a ler um que te quero impingir hehe (não te agrido se não gostares :p)

      Eliminar
    4. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

      Eliminar
    5. Pis, é isso. Não é preciso insultar o que gostamos. Qual estás a ler?

      Eliminar
  3. E agora sem snobismo... Olha lá este texto tão fixe sob a premissa "e se o Facebook existisse na época do Pessoa". E desculpa estar a mandar-to por um comentário mas fiquei com preguiça de abrir o Facebook ou de to enviar por e-mail :p http://ocaocomeuolivro.blogspot.pt/2011/06/se-no-tempo-de-fernando-pessoa-houvesse.html

    ResponderEliminar

Os comentários são sujeitos a moderação. Seja construtivo :)