Este blog não aderiu ao Novo Acordo Ortográfico!

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Outro tipo de Anónimos...

A propósito do meu post anterior sobre os anónimos fofinhos que há por essa blogosfera fora, deixei pelos comentários a promessa de um dia vos contaria uma história. Sim, porque afinal de contas, não é só nos blogs que há gente idiota estranha, cujo principal objectivo de vida é destilar ódio para cima dos outros. Para quê? Pois, não sei bem... Está cientificamente provado que as mulheres são mais insuportáveis pela manhã. Será esta uma das formas de desanuviarem a neura? Têm prazer em rebaixar os outros? Talvez... Acho que este tema dava uma boa tese de mestrado para estudantes de psicologia ou, quiçá, psiquiatria... 

Claro que ainda há por aí alguns anónimos ou pseudo-anónimos (que são aqueles que se identificam com nicks esquisitos) que no meio de tanta parvoeira que dizem, ainda conseguem ter piada. Experimentem ler os comentários do Sapo Fama que encontram logo dois ou três que estão sempre lá e que são tão tolinhos que até se torna engraçado. 

Mas a minha história não tem nada a ver com estes anónimos. Nãaaaa sinhor! Quem me segue há mais tempo já deve ter lido isto algures, mas volto a dizer para quem ainda não sabe: eu trabalhei num call center durante 3 anos, enquanto estive a estudar. Era uma linha técnica e a chamada era taxada, obviamente. Por isso, durante o tempo que trabalhei em horários de dia (entrava às 19h e saía às 2h da manhã), nunca apanhei nenhuma situação caricata... Aliás, ninguém no seu perfeito juízo ia ligar para uma linha paga só para se divertir um bocado (digo eu...) Mas a verdade é que há malucos para tudo, mesmo!

Um dia, ou melhor, uma noite, atendi um senhor muito estranho. Juro por tudo que o homem tinha voz de Gollum, e só por aí já eu achava a coisa surreal. Já nem me lembro bem o que o senhor queria, mas devia querer tratar de alguma suposta avaria do seu serviço e para tal precisávamos de o identificar. Perguntei o nome e pedi os dados do dito serviço ao que o senhor respondeu que não tinha com ele e, muito educadamente, pediu-me para esperar enquanto ele ia buscar. Tudo bem, eu esperava. 5 minutos depois lá voltava à linha e dizia que ainda não tinha encontrado e pedia para esperar mais um pouco. Ok, tudo bem... 5 minutos depois repete-se a mesma situação. Não poderia dizer-lhe que não, mas começou a cheirar-me a esturro... Ainda para mais, eram sempre 5 minutos certos. E isto repetia-se por 15, 20, 30 minutos até que a chamada acabava por cair. 

Depois a brincadeira começou a tornar-se frequente. Todas as noites o senhor ligava, sempre com a mesma lengalenga e só falava com as meninas. Ia variando o nome com que se apresentava. Uns dias era o Paulo, outros era o Pedro (dupla personalidade?) Se por acaso a chamada calhasse a algum rapaz, ele desligava imediatamente. E pior é que, por vezes, naqueles intervalos de 5 minutos ouviam-se gemidos... Ca'nojo... 
E não podíamos fazer nada, porque fosse como fosse, era um cliente que estava a pagar a chamada e não podíamos simplesmente desligá-la. 

Até ao dia que um dos supervisores mais destemidos se fartou da brincadeira! Como devem calcular, nós reclamávamos com aquela situação. Chegávamos a sentir-nos um tanto... violadas? O que começou por ser uns gemidos tímidos lá ao longe, passaram a ser cada vez menos tímidos e menos ao longe... Então o supervisor, naquele dia, mandou as meninas saírem de linha e ficaram só os rapazes. Coitado do sr. Paulo/Pedro, queria uma menina e não sabia mais onde a encontrar... E ligava e voltava a ligar e a cada chamada só apanhava homens...

Mas o supervisor foi ainda mais além! Mandou sair de linha todos os rapazes e ficou só um, na esperança de que o homem desistisse e pudéssemos voltar ao trabalho normalmente. A verdade é que ele não desistiu, mas lá percebeu que não se ia safar na procura de meninas e olhem... lá teve que se safar com o que a arranjou...

-(O meu colega) Boa noite, está a falar com o Xpto. Em que posso ajudar?
-(Gollum a dizer alguma coisa)
-(O meu colega) O seu serviço não está a funcionar, é isso? Pode indicar-me o seu nome, por favor?
-(momento de suspense em toda a sala enquanto o homem se "apresenta")
-(O meu colega) Como disse? Manuela??

Foi a risota total... Se bem me recordo a chamada acabou por não durar muito mais. O sr. Paulo/Pedro, mesmo depois de ter virado Manuela, deve ter achado que aquilo já era demais, até apara ele...

Lembro-me que ainda continuou a ligar durante mais algum tempo mas a partir daquela noite, já gozávamos com o homem. Ele apresentava-se por Pedro, nós chamávamos-lhe Paulo e por vezes Manuela. E vai na volta o senhor não gostou...

E como esta história tenho muitas, muitas mais... Ainda faço uma rubrica disto hehe 

13 comentários:

  1. Respostas
    1. Acredita que apanhei bem piores! Mas fica para outro dia :)

      Eliminar
    2. Realmente, soa um bocadinho mal... Reformulando: atendi anónimos bem piores!

      Eliminar
  2. Olá,

    Bem mais parece um livro mas é uma situação desagradável, até porque acredito acabaram por ter algum receio não fosse o homem fazer uma espera no vosso local de trabalho.

    Só pode ser uma pessoa com problemas de cabeça, mas pronto lá acabou por perceber que dali não levava nada.

    Historias ainda piores ? Bolas ....


    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ahahah sim, histórias piores! É que eu depois comecei a fazer o horário da noite e atendia também uma linha gratuita. Aí sim, era de tudo um pouco....

      Fazerem-nos esperas era difícil porque são call centers espalhados por várias zonas do pais e fazia parte da confidencialidade não revelar a nossa localização ou nada que pudesse dar a entender onde estávamos. Mas de vez em quando lá aparecia um maluco que dizia que sabiamos onde estávamos e que ia à loja de não sei onde dar um tiro a toda a gente...

      Mas confesso que ao inicio tinha medo destes malucos...

      Eliminar
    2. lol,

      Eu tinha percebido ficaste traumatizada com os errros ihihih

      Ainda bem que funciona dessa maneira, mas acredito que volta e meia fosse um pensamento que nos venha à cabeça (o poderem fazer uma espera)

      Malucos e de que maneira lol

      Eliminar
    3. Ter trabalhado num call center já é, por si só, um trauma... Quem nunca o fez, não faz ideia da pressão psicológica que é.

      Então não era? Ao inicio então tinha mesmo medo que acontecesse alguma coisa. Ainda por cima tinha um colega que era de Reguengos de Monsaraz e tinha o sotaque alentejano mais acentuado que alguma vez ouvi... Assim já dava uma ideia de onde poderiamos estar. Mas com o tempo, o medo passou

      Estou a ver que tenho que contar mais histórias destes malucos eheh

      Eliminar
  3. Ainda há pouco ouvi umas histórias assim estranhas, mas de atendimento ao público (!!!!) e utentes de portagens (!!!).

    Quanto ao Call Center... Tinha uma colega que atendia e dizia:
    "- Estou sim! Fala a Shakira!
    E também tive uma colega de Call Center que deu a nossa localização a um cliente...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Trabalhaste num call center? Epa, também deves ter umas boas para contar, de certeza...

      O atendimento ao público deve ser bem pior... É que em call center, se a conversa dos clientes for estranha ou mesmo parva, sempre podemos fazer uma careta para nos, ou carregar no botão do mute (que dá jeito quando eles só querem ofender) e ninguém se apercebe... Mas ao vivo deve ser difícil manter a postura em algumas situações...

      Fala a shakira?? LOL muito bom! Imagino a cara do cliente do outro lado. Eu tive um supervisor que me contou que quando começou a fazer atendimento, não havia tanto controlo de chamadas, então ele apresentava-se com o nome do ultimo cliente que tinha atendido, fosse homem ou mulher...

      Quanto à tua colega, que raio?? Será que não tinha medo de ser perseguida por um cliente raivoso? Por vezes, quando o cliente tinha que esperar enquanto fazíamos alguma coisa, às vezes metiam conversa só para matar aqueles momentos de silêncio. E diziam muitas vezes "está sol aqui por Lisboa. E por aí, como está o tempo?". Nem a isto podíamos responder...

      Eliminar
    2. Trabalhei, mas foi mt pouco tempo...
      As cenas de atendimento ao público têm bolinha...

      Eliminar
    3. Bolinha?? daquelas vermelhas? Tens que contar isso!!

      Eliminar

Os comentários são sujeitos a moderação. Seja construtivo :)