Este blog não aderiu ao Novo Acordo Ortográfico!

domingo, 4 de janeiro de 2015

A Peregrinação do Rapaz Sem Cor

A Peregrinação do Rapaz Sem Cor, de Haruki Murakami, é o meu livro de estreia em 2015, apesar de ter iniciado a leitura ainda no final do ano. Já são vários os títulos de Murakami aqui em casa, apesar de ainda ter uns quantos por ler, e arrisco-me a dizer que talvez seja o autor com maior destaque na minha estante.

Isto para dizer que a escrita de Murakami, bem como a forma como as suas histórias se desenvolvem, com uma boa dose de surrealismo e personagens misteriosas, já não são novidade para mim. Não me recordo de um livro que não tenha gostado, apesar de haver alguns que não me deixaram de todo satisfeita, mas isso não significa que não tenha passado um bom bocado. 

Neste livro, conhecemos Tsukuru, que durante a adolescência fazia parte de um grupo de amigos muito próximo, composto por 3 rapazes e 2 raparigas. Os nomes de todos os seus amigos faziam referência a alguma cor, na língua japonesa, excepto o de Tsukuru que sempre se viu como o rapaz sem cor. Ainda assim, o grupo de amigos era muito unido e estavam sempre juntos. Ao ingressarem na Universidade, permaneceram quase todos em Nagoia, a sua terra natal, excepto Tsukuru que partiu para Tóquio para estudar engenharia civil. E tudo correu bem durante o primeiro ano de curso. Tsukuru ia frequentemente a casa e o grupo reunia-se de novo. No entanto, no inicio do segundo ano de curso, os amigos dizem-lhe que não o querem ver mais, sem dar qualquer justificação para tal.

Deixo-vos a primeira frase do livro que, quando a li (estava eu toda entusiasmada para iniciar a leitura) fiquei um bocadinho assustada com o que teria pela frente:

No seu segundo ano de faculdade, entre Julho e o mês de Janeiro seguinte, Tsukuru Tazaki só pensava em morrer.

A peregrinação, propriamente dita, inicia quando, 16 anos depois, Tsukuru resolve encontrar os seus velhos amigos e descobrir o que aconteceu no passado. 

Para variar, gostei muito do livro. Só fiquei um bocadinho desiludida com o final pois, mais uma vez, ficou em aberto e não sabemos ao certo o que terá acontecido. Tenho as minhas teorias, mas ninguém com quem as discutir... A verdade é que me aconteceu o mesmo quando li o Sono: quando virei a página, percebi subitamente que já tinha chegado ao fim, mesmo naquele momento em que precisava de explicações sobre o que estava a acontecer. Ainda para mais, esta edição de capa dura tem 4 páginas em branco no final do livro e eu estava a ler muito descansadinha, por ainda ter páginas onde a história podia desenvolver. Bah!!

Fora isso, é um daqueles livros que se lê muito bem, desde a primeira à última página. Um leitura leve e com um ritmo agradável. 
Queria só referir um pequeno defeito da edição, pois em alguns momentos apareciam os nomes dos personagens trocados. Por exemplo, quando o Tsukuru está a falar com a Eri, algures pelo meio trocam a Eri pela Sara. Suponho que seja algum erro da revisão do texto que espero que seja corrigido em futuras edições. 

Recomendo :)

19 comentários:

  1. Ois Sofia,

    Este escritor é isto ficamos sempre um pouco à nora mas com a sensação de ser um livro muito bom :)

    Realmente é muito desagradável pagarmos o que pagamos por livros e vir com tanta falha, mau mesmo

    Bjs e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Fiacha,

      É mesmo essa a sensação com que fico quando leio um livro dele. Ando sempre perdida e sem perceber algumas coisas que aparecem pelo meio, ou mesmo o final da história, mas fico sempre com a sensação de ter gostado, de ser um bom livro.

      E nesta edição ainda me custa mais. As edições de capa dura são sempre mais caras, paga-se para ficar com um livro mais bonito e resistente e depois lá dentro são só erros parvos. Custa-me a crer que o revisor do livro não tenha reparado nas trocas de nomes...

      beijinhos, boas leituras!

      Eliminar
    2. Bem acima de tudo o importante é que tenhas gostado muito, tens que continuar a apostar neste escritor :)

      Eliminar
    3. Sim, isso não duvides. Gostei muito :)

      Eu vou apostando muito neste escritor. Tenho já 11 livros dele na minha estante e muitos outros ainda por comprar :) Vou apanhá-los todos!

      Eliminar
    4. Bem a isso é que se chama um grande amor ehehe, mas ja leste tudo o que tens dele ? Bolas olha o teu objetivo para 2015 :D

      por falar nisso mandei-te um mail com uma prendinha ;)

      Eliminar
    5. É um dos meus favoritos. Ainda não li tudo o que tenho dele, mas só tenho 3 por ler. Os outros já li. Mas ainda me falta ter tantos...
      Normalmente quando não sei o que ler, pego num livro deste autor.

      Já vi :) obrigado!

      Eliminar
  2. Olá :)

    Já tenho este livro na estante, à espera. Mas ainda tenho tantos de Murakami por ler que ainda vai ter de esperar um pouco. Muito curiosa!

    Beijinhos e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Denise.

      Somos duas, tenho uns quantos livros dele para ler na estante. Mas este, apesar de ter aqueles elementos que se repetem em todos os livros - pessoas que desaparecem, gatos, personagens estranhos, acontecimentos inexplicáveis... - é um livro que se lê muito bem.

      Beijinhos e boas leituras!

      Eliminar
  3. Boa crítica, Sofia!!
    Uma das razões por que não simpatizo com Murakami é mesmo por não dar finais às histórias. É desmotivante.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também fico sempre um pouco chateada quando isso acontece. Mas no acso deste livro nem havia necessidade. O mais importante da história é o Tsukuru encontrar-se com os amigos e esclarecer o que aconteceu no passado e a verdade é que ele faz isso tudo. No final, ficamos sem saber se ele se volta a encontrar com a namorada no dia seguinte, já que têm alguns assuntos pendentes. E acaba assim, sem sabermos em que ficou o namoro. Não é nada de especial, o essencial da história está lá. Não havia necessidade!! lol

      Mas fora isto, o livro é muito bom :)
      Não sei se já te perguntei antes, mas o que já leste dele?

      Eliminar
    2. O Elefante Evapora-se. Um livro de contos e não dá final a nenhum. Não digo que desgostei mas não fiquei com vontade de ler mais nenhum livro dele. Acho os personagens todos parvos ahah

      Eliminar
    3. Não sabia que esse livro é de contos. Ainda não o li... ahahaha achei engraçado dizeres que os personagens são parvos. Alguns são, nesse livro não sei dizer. O que noto é que os personagens dele são muito parecidos, principalmente os masculinos. Mas experimenta ler pelo menos mais um, de preferencia um que não seja de contos. Este é uma boa aposta, tal como o kafka à beira mar e o norwegian wood (o meu favorito até agora). Talvez mudes de opinião.

      Eliminar
    4. São todos meio esparvoados, mas isso já é típico dos japoneses ahah. Não me parece que venha a ler algo de Murakami nos próximos anos :D

      Eliminar
    5. Oh!! Mas eu não insisto, com este autor não há meio termo!

      Mas sim, são todos um pouco esparvoados. Eu costumo gostar dos personagens, mas admito que alguns são um bocado tontos

      Eliminar
  4. Olá!

    Bom livro para começar o ano. Já li Murakami, o "Sputnik, Meu Amor" e não gostei muito.
    Contudo, este parece-me bem mais interessante! Quero ler mais livros deles para tirar as teimas.

    Beijinhos e boas leituras!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Isaura,

      É verdade, não podia ter começado melhor. Também já li o sputnik, e normalmente é o livro que recomendo quando alguém quer experimentar alguma coisa deste autor, mas a verdade é que aquele final é desconcertante... Na altura gostei, mas já li bem melhor dele.

      Sendo assim recomendo-te o Kaftka à beira-mar, o Norwegian Wood e este mesmo. A trilogia do 1Q84 também é muito boa, mas sendo uma trilogia talvez não seja boa ideia para quem está a começar :)

      beijinhos, boas leituras

      Eliminar
  5. Spi, ainda bem que gostaste. Deixaste-me ainda mais curiosa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Su, quando leres temos que discutir aquele final.

      Eliminar
    2. Ui, já estou a imaginar o "não-final"...

      Eliminar

Os comentários são sujeitos a moderação. Seja construtivo :)