Este blog não aderiu ao Novo Acordo Ortográfico!

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Os Assaltos à Padaria

Já tinha comentado com a Su que não queria terminar 2015 sem ler mais um livro do Murakami e, apesar de não ser bem isto que tinha em mente, não deixa de ser uma boa leitura. O meu desafio do Goodreads já viu melhores dias, pois desde a mudança de casa que passei de 4 livros de avanço para 3 livros em atraso. Por isso, se tenciono completar a minha meta, preciso de fazer uma pequena batota e procurar livros mais pequenos e de rápida leitura. 

Foi com esse intuito que escolhi Os Assaltos à Padaria para ler nesta segunda-feira chuvosa. A sinopse dá a entender que o livro é composto por dois contos, dois assaltos, mas a verdade é que ambas as partes estão relacionadas. Quem já leu o Sono, do mesmo autor? Recordam-se, portanto, que a protagonista deixa de conseguir dormir, sem razão aparente. Não chegamos a ter nenhuma explicação para esse facto, mas com o Murakami é mesmo assim.... Sei que a protagonista desse livro já tinha sofrido com insónias quando era mais nova, mas com o passar dos dias o sono volta naturalmente. Pois parece-me que a fórmula para escrever Os Assaltos à Padaria é a mesma.

A primeira parte do livro (ou o primeiro conto, como preferirem) centra-se no assalto a uma pequena padaria. Os assaltantes, um dos quais é o nosso narrador, não são movidos pela ganância ou pela sede de sangue, mas por uma fome inexplicável. A fome, que começou por ser como o buraco de um donut, aumentou de forma abismal e deixa-os dispostos a tudo para a saciar. Munidos de facas escondidas atrás das costas, o momento em que o padeiro diz que "sim senhor, comam o que quiserem" é um autêntico balde de agua fria para qualquer assaltante. Não resisti a dar uma boa gargalhada. 

A segunda parte volta a ser relatada pelo nosso protagonista, anos mais tarde, numa noite em que acorda subitamente e atormentado pela mesma sensação incontrolável de fome. Ele, e curiosamente, a sua mulher. Não imaginam o que eles vão assaltar a seguir! E eu também não vos vou contar, obviamente.

Apesar de ser um livro tão pequeno, que se lê em menos de 1h, é possível encontrar alguns detalhes caricatos já habituais nos livros deste autor. A referência musical, os fenómenos inexplicáveis, uma mulher "estranha" e até um personagem que desaparece sem deixar rasto... O final também fica um tanto em aberto, mas vá lá que não terminou da mesma forma abrupta de Sono

Mais uma vez, a editora está de parabéns, não só pela aposta em mais um livro de Murakami, mas principalmente por esta edição lindíssima.



E querem saber o mais curioso? Enquanto escrevia este post recebi a notificação do Facebook para as memórias deste dia. Há coincidências engraçadas e esta é uma delas:


Gostei do livro, apesar de estar à espera de algo mais. Será que os livros de Murakami se estão a tornar demasiado previsíveis para mim? Continuo a ter vontade de ler algo mais maçudo do autor, ainda este ano, se bem que não faço ideia quando é que isso poderá acontecer... Sabiam que foi publicado em Espanha um novo livro intitulado Hombres sin Mujeres? Perfeito perfeito era que chegasse cá bem rápido, mesmo que fosse no início de 2016. 

Queria incluir Os Assaltos à Padaria no desafio Viagens à Lareira de Novembro, que está reservado aos livros de terror, mas como afinal a história não tem muito (ou mesmo nada) de assustador, fica sem efeito. Mais uma vez, sinto-me enganada pela sinopse que dá a entender uma história mais sombria. Malta, preciso de um livro que meta medo e que seja pequeno para tentar cumprir o desafio. Tenho 5 livros na cabeceira para ler ASAP, preciso sugestões!!!

11 comentários:

  1. Viva,

    O que não fazes para atingir os objetivos agora é ler livros mais pequenos ? :D

    Não vejo os livros do autor como previsíveis pois por norma escreve sobre coisas estranhas mas vejo que te estás a tornar uma especialista.

    Tenho que voltar a ler este escritor :)

    Bjs e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá!

      Não, eu preciso é de livros pequenos para ver se consigo cumprir os objectivos.

      Tens que ler sim, recomendo A Peregrinação do Rapaz em Cor!

      beijinhos

      Eliminar
  2. adoro o Murakami, mas esse confesso que ainda não li :)

    ResponderEliminar
  3. Ei! Que coincidência, estavas a ler o "Sono" na mesma altura :D estou curiosa. Tenho mesmo de o por na cartinha ao Pai Natal. E se leres contos de terror, para despachares o desafio? o "Marina" é pequenino, mas sim, eu sei que preferes não o ler...

    beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O melhor é pedires logo o Sono, também. As edições são iguais (era fixe que saísse daqui uma coleção de Murakami em capa dura).

      Ontem olhei para o Marina, mas depois lembrei-me que tenho um livro de poemas do Poe. E é pequenino. Se calhar é o que vai :)

      beijinhos

      Eliminar
    2. Olha, é o melhor! Lança-te ao Poe!

      Eliminar
  4. Olá Sofia,
    Não este livro. Mas quero muito ler o "Sono".
    Beijinhos e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Isaura,

      Gostei mais do Sono que deste, apesar dos spoilers à Anna Karanina que o autor faz lá pelo meio. Ainda assim é um bom livro, cheio de coisas estranhas.

      beijinhos

      Eliminar
  5. Olá
    Tenho mesmo de ler algo do Murakami!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Sara,

      Para começar sugiro sempre um livro pequeno porque com este autor, ou se adora ou se odeia. Recomendo particularmente o Sputnick, meu amor que há numa edição mais barata. Mas se preferires ler um livro de tamanho normal, aí sugiro A Peregrinação do Rapaz Sem Cor - que é muito muito bom!

      Espero que gostes,
      beijinhos

      Eliminar

Os comentários são sujeitos a moderação. Seja construtivo :)