Este blog não aderiu ao Novo Acordo Ortográfico!

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

A Cativa

A Cativa, de Manuel Alves, foi o livro escolhido para a leitura conjunta de Janeiro no Cantinho do Corvo Fiacha. Se não estou em erro, o livro (em formato e-book) terá sido publicado no início do mês e desta forma ajudámos na divulgação de mais uma obra portuguesa. O meu exemplar foi oferecido pelo amigo Corvo e aproveito o post para dizer novamente "Obrigado!!!!"

Não posso dizer que tenha sido a minha estreia a ler um livro do Manuel Alves, mas foi o primeiro que terminei. Há uns meses comecei a ler o Terra Fria, do qual estava a gostar bastante, mas acabei por ter que por a leitura de parte para dar prioridade a uma parceria. Ainda está no tablet, à espera que possa continuar.

Seja como for, ao iniciar a leitura de A Cativa, apanhei um choque enorme pois a escrita não tem nada a ver com o Terra Fria. Chego a duvidar que tenham sido escritos pela mesma pessoa. Mas isto não é mau! Só demonstra a versatilidade e o talento do Manuel. 

Passando ao livro propriamente dito, A Cativa é um obra do demónio! Literalmente. Escrito de uma forma simples e super acessível, o autor explora um pouco de filosofia, magia, teologia, história e leva-nos ao Inferno e aos confins da Terra. O primeiro volume da série Wulfric fala-nos da disputa entre Lúcifer e Mefistófeles pelo "trono" do Inferno, disputa essa que vai contar com a ajuda do Mestre Lobo para que um dos lados saia vitorioso. Não queria falar-vos muito nas cativas, porque já sei que me vou meter em spoilers e depois rogam-me alguma praga! Posso dizer-vos que gostei muito da história. Wulfric é um personagem que me intrigou, tanto pelo que é revelado acerca do seu passado e das suas origens, como pelo que permanece em mistério. Também gostei da cativa, apesar de ter ficado com a sensação que ela podia ter sido mais bem explorada. Mas desconfio que ela ainda virá a ser importante em mais algum livro desta série. 

Fui surpreendida pela forma como o autor humanizou Lúcifer, mostrando-nos o seu lado mais curioso que, de certa forma, justifica as acções menos nobres. E mesmo os diálogos entre Wulfric e o seu pupilo, Gervas, deixaram-me a pensar em algumas filosofias e teorias para o equilíbrio entre o Céu e o Inferno, por exemplo. Entre tantos outros assuntos que poderiam fazer sentido, da forma como são falados neste livro. 

Recomendo a leitura, sem dúvida! Resta-me esperar por um segundo volume desta série. O que será que nos espera? Hum....

31 comentários:

  1. Impinge-mo, impinge-mo!!! "Soa" bem :D

    ResponderEliminar
  2. Olá, Sofia!

    Mas achas que não foi a mesma pessoa a escrever o Terra Fria e a Cativa? Ahahah Que estranho. É um mistério dos demónios.
    Também acho que deves impingi-lo à Su :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pronto, admito. Quem escreveu A Cativa foi o próprio Wulfric. :D

      Eliminar
    2. Não me digas que foste possuído! Bem, antes pelo Wulfric do que por algum dos outros - qualquer um dos outros...

      Eliminar
    3. Sofia, não fui possuído, apenas requisitei os serviços do Wulfric como ghost writer. :D

      Eliminar
    4. ahahah vai dar quaaaase ao mesmo.

      Ele escreveu e tu ficas com os louros, tal como quando Roma ardeu e o Nero é que ficou com as culpas!

      Eliminar
    5. Pois é. :D A História que conhecemos está cheia de imprecisões e enganos. Nem vou falar (aqui) do que realmente aconteceu ao Hitler no fim da Segunda Guerra Mundial. :D

      Eliminar
    6. Imagino! Olha agora dizerem que a culpa foi do Nero, não se faz... Não falas aqui, mas aposto que mais cedo ou mais tarde vamos descobrir :D

      Eliminar
  3. Olá Nuno!

    Oh tu percebeste! Estão escritos de uma forma tão diferente que nem parecem escritos pelo mesmo autor. Mas era um mistério do caraças!

    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O autor vaidoso dentro de mim alegra-se com esse comentário. :D

      Eliminar
    2. Também se arranja, bordadinho e tudo! eheheh

      Eliminar
    3. Com uma cabeça de lobo bordada em ponto cruz. :D

      Eliminar
    4. Não deixava de ter a sua piada :)

      Eliminar
  4. Oie,

    Fico contente que tenhas gostado e nada a agradecer, acabaste por fazer o teu papel, ler, participar na leitura conjunta e divulgar o livro, melhor era impossivel ;)

    Só eu me ando a portar mal, mas é tanta coisa que tenho pela frente que até tremo, mas pronto acabarei por o ler ;)

    Bjs e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostei pois, e fico à espera da continação. A Cativa ainda deve dar muito que falar nos próximos capitulos. Mas não digo mais senão ainda te faço algum spoiler!

      Tenho pena que ainda não tenhas terminado a leitura, mas fico à espera da tua opinião. Seja como for também já ajudaste à divulgação no blog.

      beijinhos e boas leituras

      Eliminar
    2. Fiacha, acho que já te disse que é mais importante leres ao teu ritmo do que para cumprir prazos. Olha para o que te digo. :D

      Eliminar
    3. É isso mesmo eu vou concluir mas não para já, quando voltar a ele vou ler tudo de seguida para não quebrar o ritmo :)

      Eliminar
    4. Leitura seguida é mesmo a minha recomendação. ;)

      Eliminar
  5. Olá, Sofia. :)
    Ainda bem que li a tua opinião a tempo de falar com os demónios que estavam, digamos, incumbidos de te ir puxar os pés durante a noite (seria hoje). Já te safaste. :D
    Quanto à diferença praticamente total entre A Cativa e Terra Fria posso apenas dizer-te que é fruto da minha genial versatilidade. :D Correndo o risco de parecer presunçoso, posso afirmar que consigo escrever o que quer que seja acerca do que quer que seja (bem ou mal, é, como em tudo, uma questão de opinião :D ). Moldo a minha escrita em função da história que quero contar, e tento cultivar essa diferença entre livros.
    A Cativa regressará no segundo livro, e Lúcifer estará presente em todos os livros da série. Ele foi determinante na origem de Wulfric e poderá sê-lo também no fim. Agora resta saber se o fim é um estado absolutamente definitivo. Como se pode deduzir da existência dos demónios, nem a morte é absoluta. ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Manuel.

      Tu não brinques, que o meu gato às vezes começa a rosnar sozinho a meio da noite. Devem ser os demónios que cá mandas!

      Pelo menos nestes dois é uma diferença abismal. Eu li cerca de 50 páginas do Terra Fria e quando peguei na Cativa, notei uma diferença enorme. Se me perguntares de qual dos dois gosto mais (pelo menos na forma como estão escritos, já que acabei por não terminar o primeiro) nem sei bem. Talvez goste mais deste, é diferente do que estamos habituados. Não sei se me explico bem...

      Acho muito bem que a Cativa regresse. Tal como disse no blog do Nuno, a verdade é que neste primeiro livro não sabemos ao certo o que aconteceu à Cativa depois das cenas em Portugal. Ela desapareceu e acaba por ter um certo contacto com as descendentes através do medalhão. Faz todo o sentido que volte a aparecer na história. Só tive pena do Gervas, até gostava do moço...

      Acho muito bem, gostei deste Lúcifer "não tão mau quanto isso". Quero ver no que vai sair daí.
      Já agora aproveito para te perguntar se tens alguma ideia de quando poderá sair o segundo volume. E quantos livros planeias escrever desta série?

      beijinhos

      Eliminar
    2. Os gatos são danados para detectarem presenças indesejadas. :D

      Para mim, enquanto autor, a história que pretendo contar e o registo de escrita influenciam-se mutuamente. Por isso, é natural a diferença entre livros meus que tenham tão pouco em comum como "Terra Fria" e "A Cativa".

      A Cativa regressará no próximo livro, e não será a única. Não faças já o funeral a Gervas. Não é a primeira vez que ele é dado como morto (basicamente um spoiler, mas pronto... :D).

      Lúcifer, durante a série, assumirá protagonismo quase paralelo ao do próprio Wulfric. Sem ele, o Mestre Lobo não existiria. ;)

      Quanto a previsões para a publicação do segundo livro, posso apenas dizer-te que não será este ano. Ainda não defini o número de livros para a série, mas já sei como deverá acabar. Agora tudo dependerá de quantos livros precisarei para chegar até lá. :D Provavelmente entre 4 e 6.

      Eliminar
    3. Apanho grandes sustos com este gato à conta disso...

      Ah!! Não me importo nada com esse spoiler, na verdade fico contente por saber que o Gervas vai voltar. Coitado, mal teve hipótese de conhecer a bisneta...

      Hum... essa dica de "sem ele, o Mestre Lobo não existia" deixou-me curiosa. Ao longo do primeiro livro revelas algumas coisas so passado do Wulfric mas percebe-se que ainda há muito mais para desvendar. Tal como disse na minha opinião, é um personagem que me intriga imenso!

      Pela parte que me toca, tens aqui uma leitora que vai ficar atenta e à espera que saia o segundo volume, e os restantes que achares necessários para contar a história. Entre 4 e 6 parece-me muito bem :)

      Eliminar
    4. Os gatos são matreiros. A gata preta cega de um olho vai regressar no segundo livro. A Agathe vai querer saber o que aconteceu ao irmão. ;)
      Ainda há um segredo ou dois acerca de Gervas, que é preciso contar. ;)
      Sem uma acção de Lúcifer, o Mestre Lobo não existiria mesmo. Será um mistério para desvendar completamente num livro da série, que será dedicado à origem de Wulfric. E é claro que temos de ficar a saber se Wulfric ocupou, de verdade, o trono da Atlântida. ;)

      Eliminar
    5. Pois, temos que descobrir isso tudo! Vá, vai escrever :P

      Eliminar
  6. Mais um que tenho por ler na infindável TBR *sigh*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A parte boa é que não conta para o teu Ban, é e-book e bem baratinho.

      Eliminar

Os comentários são sujeitos a moderação. Seja construtivo :)