Este blog não aderiu ao Novo Acordo Ortográfico!

segunda-feira, 27 de maio de 2019

O Homem de Sampetersburgo, Ken Follett [Opinião]

Quando chego à minha estante e tento escolher a próxima leitura, os meus olhos pendem facilmente para os livros de Ken Follett. Não é difícil que isso aconteça, pois à semelhança dos livros de Murakami, os de Follett ocupam majestosamente a sua própria prateleira. Só que normalmente, resisto. Seja porque a maioria dos livros são brutos calhamaços impróprios para transporte, ou apenas pelo receio de o início da história não cativar de imediato.... Há sempre uma desculpa que me faz adiar a leitura destes livros. 

Por sorte, de vez em quando arrisco. E ainda bem! 

O Homem de Sampetersburgo não teve tempo de ganhar muito pó na estante. A história decorre em Inglaterra, pouco antes de eclodir a 1ª Guerra Mundial. Com os ânimos tensos um pouco por toda a Europa, torna-se essencial dispor do exército Russo como aliado na eventualidade da Alemanha invadir a França. As negociações desta aliança são feitas em segredo por Winston Churchill e o Duque de Walden, que é tio por afinidade do Príncipe Orlov, enviado a Londres para negociar pelo lado da Rússia. 

Com o intuito de impedir tal aliança, surge Feliks Kschessinsky, o dito homem de Sampetersburgo, anarquista e assassino, que tenta eliminar o Príncipe Orlov e impedir dessa forma que a Rússia entre numa guerra que, de facto, não lhe diz respeito. Antes de começar a ler encontrei comentários no Goodreads em que várias pessoas diziam torcer pelo assassino. De facto simpatizei bastante com o Duque de Walden, que o autor retratou como um homem íntegro, e com a sua família. Até com a sua esposa, Lydia, que apesar ser um pouco lenta a juntar 2+2, retratou perfeitamente a opressão a que as mulheres da época estavam sujeitas. Orlov pouco entra em cena mas também é descrito como um jovem inteligente e justo. 

Mas lá dei por mim a simpatizar com Feliks, mesmo sabendo que a História não abonou a seu favor e a Rússia foi de facto aliada do Reino Unido e da França. Ken Follet deu-nos a conhecer o lado humano do assassino e torna-se difícil não simpatizar com a sua causa. Tudo isto aliado à prosa do autor, que uma vez mais proporciona um "virar páginas" constante, tornam este livro uma excelente aposta para quem gosta de romances históricos ou de livros excepcionais, em geral. 


Posts sugeridos


quinta-feira, 9 de maio de 2019

Clixsense - O Melhor Site de Inquéritos

Em 2014 aventurei-me pela internet à procura de um rendimento extra. Se nessa altura avançava um pouco a medo (por não conhecer o meio e por não reconhecer à partida os sites fraudulentos), hoje em dia posso dizer que, mesmo não sendo "profissional na área", tenho colhido alguns frutos. 

Passei já por vários sites, com diferentes formas de ganhar (ou rentabilizar) dinheiro, mas alguns ficaram pelo caminho. Ora porque deixaram de pagar aos membros, ou porque encerraram ou porque simplesmente se focam apenas nos próprios ganhos e não nos utilizadores. Sim, acontece.

Hoje em dia estou registada em poucos sites. Cheguei à conclusão que não vale a pena estar constantemente a testar novas plataformas para depois perceber, ao fim de uma boa temporada a trabalhar para isso, se funcionam/ pagam correctamente. O melhor é manter-me fiel ao que funciona e manter o foco. 



Um bom exemplo disso é o Clixsense. Utilizo, precisamente, desde 2014. Por essa altura, o Clixsense era apenas um site de PTC (paid to click) em que o utilizador era pago por assistir conteúdos publicitários por alguns segundos. Não se pode dizer que os ganhos diários fossem muito elevados, mas todos os dias o valor acumulado no site crescia. Já nessa altura era possível responder a inquéritos e realizar pequenas tarefas, que ajudavam a obter ganhos mais elevados, mas o foco do site eram efectivamente os anúncios. 

Mais tarde, salvo erro em 2016, o site deixou de trabalhar com a Paypal. Não por opção própria, pois  a Paypal seria certamente o processador de pagamento mais utilizado pelos membros. Só que nessa altura a Paypal quis deixar de estar associada a sites fraudulentos e acabou por cortar com quase todos os PTC's. Na altura o Clixsense deu resposta ao problema adicionando novos processadores, mas esta comparação com sites duvidosos não foi esquecida e passado algum tempo (penso que terá sido já em 2017) o site sofreu uma reforma e deixou de disponibilizar PTC's. O foco passou a recair sobre os inquéritos, ainda que se tenham mantido as tarefas e outras funcionalidades. 


Como funciona?

É tão simples quanto responder a um inquérito. Depois de fazer o registo no site, é necessário aceder ao separador "Surveys" onde estarão visíveis as pesquisas disponíveis. Apesar do site não estar em português, os inquéritos carregados surgem na língua do utilizador.

  • É necessário preencher o "survey profile". Só depois disso é que o site começa a enviar convites para inquéritos. 


Após isto, basta consultar o site diariamente e ir preenchendo as questões de qualificação dos inquéritos que surgem. Nem sempre o nosso perfil se adequa aos parâmetros de resposta definidos pelos investigadores, mas não é caso para desanimar. Basta ir tentando :)

Pela minha experiência pessoal, mesmo não me qualificando diariamente para responder a questionários, os meus ganhos anuais subiram bastante em relação aos tempos dos PTC's, e isso é muito positivo. 


Como funcionam os pagamentos?


O utilizador pode pedir pagamento a assim que acumular 10$

Processadores disponíveis:
Eu utilizo Skrill e o respectivo cartão, que é semelhante a um cartão de crédito por carregamentos. Como tal, está associado à minha conta Paypal, permitindo-me utilizar saldo das duas plataformas em simultâneo. Em lojas físicas é aceite em qualquer superfície que aceite Mastercard. Podem ler um pouco sobre este processador aqui!


Por norma os pagamentos são processados entre 5 a 7 dias úteis após serem submetidos pelo utilizador, mas pode variar conforme o método de pagamento escolhido.



Queres experimentar?


Por norma, o dinheiro que ganho através do Clixsense e outros sites semelhantes é gasto quase exclusivamente online. Na maioria das vezes acabo por gastar em livros, seja na Wook, no The Book Depository ou no AwesomeBooks. Não gasto exclusivamente em livros, claro, mas diria que isto equivale a 70% dos meus gastos online com saldo proveniente destes sites. Ultimamente também aproveito para utilizar na Zooplus quando encomendo comida para os meus gatos. Nem sempre o saldo disponível chega para cobrir a despesa por completo, mas o que não tiver que juntar do meu bolso (e com isto refiro-me ao meu ordenado) já é uma ajuda ao orçamento. 

Queres experimentar? Regista-te aqui!






segunda-feira, 6 de maio de 2019

A Hora Má: O Veneno da Madrugada, Gabriel García Márquez [Opinião]

A Hora Má: O Veneno da Madrugada, de Gabriel García Márquez foi o livro que antecedeu a fama do autor conseguida com o Nobel da Literatura em 1962. 

De vez em quando gosto de pegar nestes livros mais pequenos do autor. São, regra geral, leituras muito agradáveis para um domingo à tarde passado em casa. 

A história decorre numa pequena cidade perdida algures no interior de um país latino- americano, possivelmente a Colômbia, onde pela madrugada são afixados pasquins anónimos um pouco por toda a povoação. Estes pasquins revelam segredos e boatos sobre qualquer habitante, sejam verdades ou...bem, boatos!

Certa manhã, enquanto o padre Ángel celebra a missa, um ganadeiro abate a tiro o suposto amante da esposa, depois de ter recebido o pasquim que denunciava um caso amoroso entre os dois. Nenhum habitante estava imune, fosse qual fosse a classe social. 

Apesar da intriga criada pelo autor ser bastante interessante, para mim a melhor parte da história foram as referências a Macondo. Para quem não sabe, é em Macondo que decorre a história de Cem Anos de Solidão, livro que valeu o Nobel ao autor. O padre Ángel terá passado, na sua juventude, pela paróquia de Macondo e também se fala brevemente no Coronel Aureliano Buendía e na Mamã Grande. 

Também é importante referir o paralelismo/ crítica, muito frequente nos livros de Márquez, às duas entidades autoritárias tradicionais. De um lado está o Estado, representado pelo alcaide tirano e corrupto que enriquece ao tentar evitar guerrilhas da revolução. Do outro lado está a igreja, representada pelo padre Ángel que vive de caridade e tenta liderar por exemplo uma sociedade que vive oprimida pelo medo. 


Mais um exemplo de boa literatura, que recomendo!


Onde comprar:





Posts sugeridos:


terça-feira, 19 de março de 2019

Fica comigo este dia e esta noite, Belén Gopegui [Opinião]

Fica comigo este dia e esta noite, de Belén Gopegui, foi publicado pela Bertrand Editora no final de 2018. A autora, que até então me era completamente desconhecida, é licenciada em Direito pela Universidade Autónoma de Madrid, mas tem-se destacado na literatura. O seu livro mais célebre, La escala de los mapas, publicado em 1993 foi distinguido com vários prémios e o seu terceiro livro, La conquista del aire, foi adaptado ao cinema por Gerardo Herrero. 

O meu exemplar foi amavelmente cedido pela editora, a quem desde já agradeço. 

Ao longo da leitura acompanhamos a Olga e o Mateo, dois amigos improváveis, de estratos sociais e gerações diferentes, que se juntam para apresentar uma candidatura de emprego à Google. Dito desta forma, parece que pouco haveria para abordar. Mas estas são apenas as linhas gerais da narrativa e não nos devemos fixar muito nelas. 

Confesso que esta leitura foi um pouco atribulada, essencialmente porque não se trata do típico livro que nos conta apenas uma história. Não tem aquela "fórmula básica" em que nos são apresentados os personagens, o contexto, o contratempo que irão enfrentar e o eventual desfecho. Penso que Fica comigo este dia e esta noite é um livro aberto a interpretação e com um objectivo disfarçado. 

Enquanto lia o livro, encontrei alguns comentários negativos que se focavam na escrita pouco cativante e no facto de a sinopse ser enganosa. Tenho que concordar que o estilo da autora não me agradou particularmente, mas quanto à sinopse, acho que assenta perfeitamente. 

Para além de nos contar a história da estranha amizade entre a Olga e o Mateo, o livro tem um certo semblante filosófico. Vivemos na era da informática, em que tudo está à distância de um clique num ecrã (por vezes nem isso). O comportamento de uma pessoa cabe dentro de estatísticas e previsões feitas com base no uso doméstico dos nossos aparelhos electrónicos, dos dados guardados pelos navegadores, pelo histórico de compras que fazemos (online ou registadas pelos extratos bancários). A publicidade que nos é casualmente apresentada em banners e pop-ups é deliberadamente seleccionada com base nestes dados. Ninguém é anónimo e quase tudo pode ser calculado e previsto por inteligência artificial. E estamos de tal forma habituados a esta realidade que a pouco e pouco, geração após geração, perdemos a capacidade de ver o lado negativo de tudo isto. 

O Mateo e a Olga tentam resistir a esta tendência e é nas suas conversas de café e pequenas discussões amigáveis que somos recordados de diversos aspectos que não podem, de facto, ser previstos por robots. E foi isto que acabou por tornar o livro muito interessante, pois muitos destes aspectos referidos nas conversas casuais entre as personagens, são banais no nosso dia a dia mas podem revelar-se muito importantes. Basta dar-lhes o devido contexto. 

Fica comigo este dia e esta noite é um livro para quem gosta de reflectir. 


Onde comprar




Posts sugeridos



sábado, 2 de fevereiro de 2019

Divulgação - Os leitores perguntam, Padre António Vieira responde [Temas e Debates]






«Os leitores perguntam, Padre António Vieira responde»: e se pudesse receber conselhos sábios do imperador da língua portuguesa sobre mais de 200 temas variados? 


Os leitores perguntam, Padre António Vieira responde, com organização de Aida Sampaio Lemos, Joana Balsa de Pinho, José Eduardo Franco e Porfírio Pinto, chega às livrarias na sexta-feira, dia 11de janeiro. 

Os Leitores perguntam, Padre António Vieira responde reúne perguntas que gostaríamos de ter oportunidade de fazer a Padre António Vieira e as respostas sábias que ele saberia dar-nos, extraídas da sua Obra Completa. Os temas são mais de 200 e tão variados como a Amizade, a Razão de Estado ou o Pecado. 

“Como se poderá conquistar o amor do outro? É a ação que dá conteúdo à existência? O que faz realmente uma pessoa nobre? Deixar de praticar a justiça devido a uma devoção é um grave erro? Muitos portugueses que se notabilizaram em vários campos costumam queixar-se da ingratidão e da falta de reconhecimento da sua pátria em relação aos serviços que lhe prestaram. O que acha desta situação?” são algumas das perguntas presentes nesta obra. 

«Este livro dá a conhecer, aos leitores do presente, com formações e experiências de leitura e de vida distintas, de diferentes proveniências e inscrições ideológicas e religiosas, o essencial do pensamento universalista de Vieira, que tem muito a dizer-nos, a nós, contemporâneos do século XXI, para melhor respondermos aos desafios da atualidade.»


Sinopse

Vieira foi um domador de palavras, um ginasta, um trapezista da argumentação. As palavras são barro que Vieira molda como um mestre oleiro, criando formas espantosas e deleitosas. Se há uma palavra que o caracteriza, tendo potenciado o seu génio, é, precisamente, a “ousadia”. Ele ousa, com a palavra e com a vida, afrontar os problemas dos homens e das mulheres do seu tempo, mas também os do seu país e os da humanidade no seu todo. Com este livro dá-se a conhecer de modo seleto e acessível aos leitores de hoje o essencial do pensamento universalista de Vieira, que tem muito a dizer-nos, a nós contemporâneos do século XXI, para melhor respondermos aos desafios da atualidade. 


Sobre o Padre António Vieira

Nascido em Lisboa em 1608, foi para o Brasil aos 6 anos onde estudou no Colégio dos Jesuítas, na Baía, ingressando aos 15 anos na Companhia de Jesus. Ordenado sacerdote em 1635, tornou-se professor de Teologia. Estreou-se como pregador em Salvador da Baía, impressionando pela sua eloquência. De 1641 a 1652 esteve na Europa, onde o rei D. João IV o nomeou seu confessor e pregador da corte, além de embaixador encarregado de difíceis missões no estrangeiro. 

Em 1652, obteve licença do rei para regressar ao Brasil, levando consigo um decreto real para libertação dos índios, que suscitou uma reação violenta dos colonos. Esse evento esteve na origem do seu regresso a Portugal em 1654. O convívio com cristãos-novos e as propostas de reforma da Inquisição puseram-no sob a mira do Tribunal do Santo Ofício, que acabaria por condená-lo, sendo detido em Coimbra (1665-1667). Em Roma viveria de 1669 a 1675, pregando algumas das suas melhores peças oratórias. Em 1681, regressa ao Brasil, onde prepara as suas obras para publicação, vindo a falecer na Baía em 1697.  

A sua Obra Completa foi publicada pelo Círculo de Leitores (2013-2014). De Vieira, a Temas e Debates publicou as seguintes obras: História do Futuro, Escritos sobre os Judeus e a Inquisição, A Chave dos Profetas, Escritos sobre os Índios, Sermões do Advento, do Natal e da Epifania e Sermão da Sexagésima e Sermões da Quaresma. Publicou ainda Cada Um É da Cor do Seu Coração - Negros, Ameríndios e a Questão da Escravatura em Vieira. 


Sobre Aida Sampaio Lemos

Mestre em Ensino da Língua e da Literatura Portuguesas (1997, Universidade do Minho) e doutora em Filologia Galega e Portuguesa (2010, Universidade de Santiago de Compostela). Professora e investigadora. Supervisora linguística e coordenadora da edição de fontes de Obra Completa Padre António Vieira (Círculo de Leitores, 20132014) e dos projetos Dicionário Padre António Vieira e Obras Pioneiras da Cultura Portuguesa (Círculo de Leitores, 2017-2019).


Sobre Joana Balsa de Pinho

Doutora em História da Arte pela Universidade de Lisboa (2013) e mestre em Museus e Museologia (Universidade de Alcalá de Henares, 2011). Desde 2012 integra, como investigadora e coordenadora (investigação e transcrição de fontes), projetos desenvolvidos pelo CLEPUL - Universidade de Lisboa, nomeadamente, Obra Completa Padre António Vieira (Círculo de Leitores, 2013-2014) e Obras Pioneiras da Cultura Portuguesa (Círculo de Leitores, 20172019). 


Sobre José Eduardo Franco

Professor catedrático convidado da Universidade Aberta e titular da cátedra FCT/Infante Dom Henrique para os Estudos Insulares Atlânticos e a Globalização (Universidade Aberta). Membro da Academia Portuguesa da História. Doutor em História e Civilizações pela EHESS (França) e em Cultura pela Universidade de Aveiro. Dirigiu com Pedro Calafate o grande projeto luso-brasileiro designado “Vieira Global” que publicou a Obra Completa Padre António Vieira em 30 volumes (Círculo de Leitores, 2013-2014). Foi-lhe atribuída, em 2015, a Medalha de Mérito Cultural do Estado Português. 


Sobre Porfírio Pinto

Licenciado e mestre em Teologia, pela Universidade Católica Portuguesa, e doutor em Estudos de Literatura e Cultura, pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, com uma tese sobre o pensamento teológico do Padre António Vieira. É investigador do CLEPUL-Universidade de Lisboa e integrou a equipa que preparou a edição da Obra Completa Padre António Vieira (Círculo de Leitores, 2013-2014).

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

Divulgação - Imortalidade, Rachel Heng [Bertrand Editora]

A morte deixou de ser um tabu. Mas… é altamente ilegal Imortalidade, de Rachel Heng, é um romance que abala os cânones da humanidade


No seu romance de estreia, Rachel Heng aborda um tema que está na ordem do dia: a manipulação genética. Em Imortalidade, a esperança média de vida ronda os 300 anos, contrastando com aquilo que ainda é os nossos dias. Rachel Heng traça um retrato daquilo que pode vir a ser o nosso futuro mais próximo, em que uma alimentação rigorosa e a uma atividade física pensada em detalhe aliadas aos extraordinários avanços genéticos constituem o cocktail perfeito. 

Se notícias mais recentes já dão conta de alterações genéticas em  embriões para os dotar de resistência a vírus, Rachel Heng vai ainda mais longe. Mas irá assim tão mais longe do que a realidade já auspicia ou de facto a perfeição genética está a apenas um passo? Este romance, que faz abalar os cânones da humanidade, apresenta uma ficção distópica que levanta algumas questões provocadoras sobre a raça humana, a vida e a morte. 

Sinopse

Um romance que se desenrola no futuro próximo, em Nova Iorque, onde a esperança de vida ronda os 300 anos e a imortalidade é o único valor que verdadeiramente importa. É neste contexto que Lea tem de decidir entre o seu pai ou viver eternamente. Lea Kirino tem um conjunto de dados genéticos que lhe confere um potencial de eternidade se fizer tudo bem feito. E Lea é muito bem-sucedida. É uma corretora de sucesso na Bolsa de Nova Iorque onde, em vez de ações, se transacionam órgãos humanos, tem um apartamento sublime e um noivo que rivaliza com ela em perfeição genética.
 
Com a ajuda adequada da HealthTech, uma rigorosa dieta de sumos e exercícios de baixa intensidade, tem a vida eterna ao seu alcance. Mas a vida perfeita de Lea sofre uma reviravolta quando, num passeio cheio de transeuntes, se cruza com o pai, supostamente distante. O seu regresso desencadeia uma profunda mudança no comportamento de Lea, que se vê atraída para o mundo misterioso do Clube do Suicídio, uma rede de pessoas poderosas e revoltadas que rejeitam a busca da imortalidade pela sociedade e que preferem viver, e morrer, nos seus próprios termos. Neste mundo futuro, a morte não é só um tabu, mas também altamente ilegal, e Lea tem de escolher entre uma existência imortal asséptica e um tempo curto e agridoce com um homem que é a sua única família no mundo…

Sobre a autora

Rachel Heng nasceu e cresceu em Singapura e este é o seu romance de estreia. Depois de se licenciar em Literatura Comparada e Sociedade pela Universidade de Columbia, trabalhou vários anos numa empresa financeira em Londres. Atualmente reside em Austin, onde frequenta uma pós-graduação em Ficção e Guionismo no Michener Center for Writers da Universidade do Texas. Os seus contos foram sempre  muito aclamados pelas mais diversas publicações literárias, nomeadamente por The Offing, Prairie Schooner, The Adroit Journal e The Minnesota Review. Assim, não surpreende que também a sua ficção tenha sido bem recebida, recomendada e premiada com uma Menção Especial do Pushcart Prize e com o Prairie Schooner's Jane Geske Award.

Divulgação - A Cura Pós-Parto [Pergaminho]

«A Cura Pós-Parto» ajudará mães e pais a ultrapassar a exaustão e a viver os primeiros tempos do bebé com a energia e alegria que merecem 

O Dr. Oscar Serrallach apresenta um plano com informação especializada sobre os cuidados que o casal deve ter de forma a recuperar e manter a sua saúde e autoestima


Especialista em curas naturais e alternativas aplicadas especificamente à recuperação do parto, o Dr. Oscar Serrallach explica como lidar com a nova rotina que o bebé traz à família, apresentando um plano de micro e macronutrição, de reconstrução hormonal, de sono, de exercício físico e de gestão de tempo, para que a saúde e a autoestima sejam recuperadas e mantidas.
 
Com este livro revelação, o autor oferece ao leitor conselhos e informação especializada – por vezes esquecida noutros livros – sobre os cuidados específicos que os pais, e em especial as mães, devem ter para consigo, ajudando cada casal a ultrapassar a exaustão e a viver os primeiros dias, meses e anos do bebé com a energia e alegria que merecem.

Sinopse

Todos sabemos que a gravidez e o parto são experiências maravilhosas e inesquecíveis, mas também intensamente desgastantes a nível físico, emocional e psicológico. Contudo, uma coisa é saber isto, teoricamente, e outra coisa é saber o que fazer em relação a isso… As mães recentes (e muitas vezes até as mães de crianças já crescidas) têm uma tremenda dificuldade em encontrar tempo e energia para cuidar de si; os cuidados com o bebé têm, naturalmente, prioridade. Mas quanto menos cuidar de si, menos tempo e energia vai ter para o fazer – e menos capacidade vai ter para cuidar bem do seu bebé. A verdade é que o desgaste causado pelo parto e pela gravidez tem características muito específicas – e a cura tem de ser igualmente cuidada.

O Dr. Oscar Serrallach é médico e especialista em curas naturais e alternativas aplicadas especificamente à recuperação do parto. Partindo do conceito de «desgaste pós-parto», termo que usa para designar o tipo de exaustão e desgaste de recursos típico do pós-parto, apresenta um plano de micro a macronutrição, de reconstrução hormonal, de sono, de exercício físico, de gestão de tempo e de trabalho de autoestima que lhe permitirá viver os primeiros dias, meses e anos do seu bebé com toda a energia e alegria que merece! 

Sobre o autor

O Dr. Oscar Serrallach é formado em Medicina Geral e Familiar pela Auckland School of Medicine e especializado em Medicina Nutricional e Ambiental. Dirige um centro de Medicina Integrativa no norte da Austrália e divulga a questão da saúde maternal em alguns dos maiores media de destaque internacionais.