Este blog não aderiu ao Novo Acordo Ortográfico!

terça-feira, 19 de março de 2019

Fica comigo este dia e esta noite, Belén Gopegui [Opinião]

Fica comigo este dia e esta noite, de Belén Gopegui, foi publicado pela Bertrand Editora no final de 2018. A autora, que até então me era completamente desconhecida, é licenciada em Direito pela Universidade Autónoma de Madrid, mas tem-se destacado na literatura. O seu livro mais célebre, La escala de los mapas, publicado em 1993 foi distinguido com vários prémios e o seu terceiro livro, La conquista del aire, foi adaptado ao cinema por Gerardo Herrero. 

O meu exemplar foi amavelmente cedido pela editora, a quem desde já agradeço. 

Ao longo da leitura acompanhamos a Olga e o Mateo, dois amigos improváveis, de estratos sociais e gerações diferentes, que se juntam para apresentar uma candidatura de emprego à Google. Dito desta forma, parece que pouco haveria para abordar. Mas estas são apenas as linhas gerais da narrativa e não nos devemos fixar muito nelas. 

Confesso que esta leitura foi um pouco atribulada, essencialmente porque não se trata do típico livro que nos conta apenas uma história. Não tem aquela "fórmula básica" em que nos são apresentados os personagens, o contexto, o contratempo que irão enfrentar e o eventual desfecho. Penso que Fica comigo este dia e esta noite é um livro aberto a interpretação e com um objectivo disfarçado. 

Enquanto lia o livro, encontrei alguns comentários negativos que se focavam na escrita pouco cativante e no facto de a sinopse ser enganosa. Tenho que concordar que o estilo da autora não me agradou particularmente, mas quanto à sinopse, acho que assenta perfeitamente. 

Para além de nos contar a história da estranha amizade entre a Olga e o Mateo, o livro tem um certo semblante filosófico. Vivemos na era da informática, em que tudo está à distância de um clique num ecrã (por vezes nem isso). O comportamento de uma pessoa cabe dentro de estatísticas e previsões feitas com base no uso doméstico dos nossos aparelhos electrónicos, dos dados guardados pelos navegadores, pelo histórico de compras que fazemos (online ou registadas pelos extratos bancários). A publicidade que nos é casualmente apresentada em banners e pop-ups é deliberadamente seleccionada com base nestes dados. Ninguém é anónimo e quase tudo pode ser calculado e previsto por inteligência artificial. E estamos de tal forma habituados a esta realidade que a pouco e pouco, geração após geração, perdemos a capacidade de ver o lado negativo de tudo isto. 

O Mateo e a Olga tentam resistir a esta tendência e é nas suas conversas de café e pequenas discussões amigáveis que somos recordados de diversos aspectos que não podem, de facto, ser previstos por robots. E foi isto que acabou por tornar o livro muito interessante, pois muitos destes aspectos referidos nas conversas casuais entre as personagens, são banais no nosso dia a dia mas podem revelar-se muito importantes. Basta dar-lhes o devido contexto. 

Fica comigo este dia e esta noite é um livro para quem gosta de reflectir. 


Onde comprar




Posts sugeridos



sábado, 2 de fevereiro de 2019

Divulgação - Os leitores perguntam, Padre António Vieira responde [Temas e Debates]






«Os leitores perguntam, Padre António Vieira responde»: e se pudesse receber conselhos sábios do imperador da língua portuguesa sobre mais de 200 temas variados? 


Os leitores perguntam, Padre António Vieira responde, com organização de Aida Sampaio Lemos, Joana Balsa de Pinho, José Eduardo Franco e Porfírio Pinto, chega às livrarias na sexta-feira, dia 11de janeiro. 

Os Leitores perguntam, Padre António Vieira responde reúne perguntas que gostaríamos de ter oportunidade de fazer a Padre António Vieira e as respostas sábias que ele saberia dar-nos, extraídas da sua Obra Completa. Os temas são mais de 200 e tão variados como a Amizade, a Razão de Estado ou o Pecado. 

“Como se poderá conquistar o amor do outro? É a ação que dá conteúdo à existência? O que faz realmente uma pessoa nobre? Deixar de praticar a justiça devido a uma devoção é um grave erro? Muitos portugueses que se notabilizaram em vários campos costumam queixar-se da ingratidão e da falta de reconhecimento da sua pátria em relação aos serviços que lhe prestaram. O que acha desta situação?” são algumas das perguntas presentes nesta obra. 

«Este livro dá a conhecer, aos leitores do presente, com formações e experiências de leitura e de vida distintas, de diferentes proveniências e inscrições ideológicas e religiosas, o essencial do pensamento universalista de Vieira, que tem muito a dizer-nos, a nós, contemporâneos do século XXI, para melhor respondermos aos desafios da atualidade.»


Sinopse

Vieira foi um domador de palavras, um ginasta, um trapezista da argumentação. As palavras são barro que Vieira molda como um mestre oleiro, criando formas espantosas e deleitosas. Se há uma palavra que o caracteriza, tendo potenciado o seu génio, é, precisamente, a “ousadia”. Ele ousa, com a palavra e com a vida, afrontar os problemas dos homens e das mulheres do seu tempo, mas também os do seu país e os da humanidade no seu todo. Com este livro dá-se a conhecer de modo seleto e acessível aos leitores de hoje o essencial do pensamento universalista de Vieira, que tem muito a dizer-nos, a nós contemporâneos do século XXI, para melhor respondermos aos desafios da atualidade. 


Sobre o Padre António Vieira

Nascido em Lisboa em 1608, foi para o Brasil aos 6 anos onde estudou no Colégio dos Jesuítas, na Baía, ingressando aos 15 anos na Companhia de Jesus. Ordenado sacerdote em 1635, tornou-se professor de Teologia. Estreou-se como pregador em Salvador da Baía, impressionando pela sua eloquência. De 1641 a 1652 esteve na Europa, onde o rei D. João IV o nomeou seu confessor e pregador da corte, além de embaixador encarregado de difíceis missões no estrangeiro. 

Em 1652, obteve licença do rei para regressar ao Brasil, levando consigo um decreto real para libertação dos índios, que suscitou uma reação violenta dos colonos. Esse evento esteve na origem do seu regresso a Portugal em 1654. O convívio com cristãos-novos e as propostas de reforma da Inquisição puseram-no sob a mira do Tribunal do Santo Ofício, que acabaria por condená-lo, sendo detido em Coimbra (1665-1667). Em Roma viveria de 1669 a 1675, pregando algumas das suas melhores peças oratórias. Em 1681, regressa ao Brasil, onde prepara as suas obras para publicação, vindo a falecer na Baía em 1697.  

A sua Obra Completa foi publicada pelo Círculo de Leitores (2013-2014). De Vieira, a Temas e Debates publicou as seguintes obras: História do Futuro, Escritos sobre os Judeus e a Inquisição, A Chave dos Profetas, Escritos sobre os Índios, Sermões do Advento, do Natal e da Epifania e Sermão da Sexagésima e Sermões da Quaresma. Publicou ainda Cada Um É da Cor do Seu Coração - Negros, Ameríndios e a Questão da Escravatura em Vieira. 


Sobre Aida Sampaio Lemos

Mestre em Ensino da Língua e da Literatura Portuguesas (1997, Universidade do Minho) e doutora em Filologia Galega e Portuguesa (2010, Universidade de Santiago de Compostela). Professora e investigadora. Supervisora linguística e coordenadora da edição de fontes de Obra Completa Padre António Vieira (Círculo de Leitores, 20132014) e dos projetos Dicionário Padre António Vieira e Obras Pioneiras da Cultura Portuguesa (Círculo de Leitores, 2017-2019).


Sobre Joana Balsa de Pinho

Doutora em História da Arte pela Universidade de Lisboa (2013) e mestre em Museus e Museologia (Universidade de Alcalá de Henares, 2011). Desde 2012 integra, como investigadora e coordenadora (investigação e transcrição de fontes), projetos desenvolvidos pelo CLEPUL - Universidade de Lisboa, nomeadamente, Obra Completa Padre António Vieira (Círculo de Leitores, 2013-2014) e Obras Pioneiras da Cultura Portuguesa (Círculo de Leitores, 20172019). 


Sobre José Eduardo Franco

Professor catedrático convidado da Universidade Aberta e titular da cátedra FCT/Infante Dom Henrique para os Estudos Insulares Atlânticos e a Globalização (Universidade Aberta). Membro da Academia Portuguesa da História. Doutor em História e Civilizações pela EHESS (França) e em Cultura pela Universidade de Aveiro. Dirigiu com Pedro Calafate o grande projeto luso-brasileiro designado “Vieira Global” que publicou a Obra Completa Padre António Vieira em 30 volumes (Círculo de Leitores, 2013-2014). Foi-lhe atribuída, em 2015, a Medalha de Mérito Cultural do Estado Português. 


Sobre Porfírio Pinto

Licenciado e mestre em Teologia, pela Universidade Católica Portuguesa, e doutor em Estudos de Literatura e Cultura, pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, com uma tese sobre o pensamento teológico do Padre António Vieira. É investigador do CLEPUL-Universidade de Lisboa e integrou a equipa que preparou a edição da Obra Completa Padre António Vieira (Círculo de Leitores, 2013-2014).

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

Divulgação - Imortalidade, Rachel Heng [Bertrand Editora]

A morte deixou de ser um tabu. Mas… é altamente ilegal Imortalidade, de Rachel Heng, é um romance que abala os cânones da humanidade


No seu romance de estreia, Rachel Heng aborda um tema que está na ordem do dia: a manipulação genética. Em Imortalidade, a esperança média de vida ronda os 300 anos, contrastando com aquilo que ainda é os nossos dias. Rachel Heng traça um retrato daquilo que pode vir a ser o nosso futuro mais próximo, em que uma alimentação rigorosa e a uma atividade física pensada em detalhe aliadas aos extraordinários avanços genéticos constituem o cocktail perfeito. 

Se notícias mais recentes já dão conta de alterações genéticas em  embriões para os dotar de resistência a vírus, Rachel Heng vai ainda mais longe. Mas irá assim tão mais longe do que a realidade já auspicia ou de facto a perfeição genética está a apenas um passo? Este romance, que faz abalar os cânones da humanidade, apresenta uma ficção distópica que levanta algumas questões provocadoras sobre a raça humana, a vida e a morte. 

Sinopse

Um romance que se desenrola no futuro próximo, em Nova Iorque, onde a esperança de vida ronda os 300 anos e a imortalidade é o único valor que verdadeiramente importa. É neste contexto que Lea tem de decidir entre o seu pai ou viver eternamente. Lea Kirino tem um conjunto de dados genéticos que lhe confere um potencial de eternidade se fizer tudo bem feito. E Lea é muito bem-sucedida. É uma corretora de sucesso na Bolsa de Nova Iorque onde, em vez de ações, se transacionam órgãos humanos, tem um apartamento sublime e um noivo que rivaliza com ela em perfeição genética.
 
Com a ajuda adequada da HealthTech, uma rigorosa dieta de sumos e exercícios de baixa intensidade, tem a vida eterna ao seu alcance. Mas a vida perfeita de Lea sofre uma reviravolta quando, num passeio cheio de transeuntes, se cruza com o pai, supostamente distante. O seu regresso desencadeia uma profunda mudança no comportamento de Lea, que se vê atraída para o mundo misterioso do Clube do Suicídio, uma rede de pessoas poderosas e revoltadas que rejeitam a busca da imortalidade pela sociedade e que preferem viver, e morrer, nos seus próprios termos. Neste mundo futuro, a morte não é só um tabu, mas também altamente ilegal, e Lea tem de escolher entre uma existência imortal asséptica e um tempo curto e agridoce com um homem que é a sua única família no mundo…

Sobre a autora

Rachel Heng nasceu e cresceu em Singapura e este é o seu romance de estreia. Depois de se licenciar em Literatura Comparada e Sociedade pela Universidade de Columbia, trabalhou vários anos numa empresa financeira em Londres. Atualmente reside em Austin, onde frequenta uma pós-graduação em Ficção e Guionismo no Michener Center for Writers da Universidade do Texas. Os seus contos foram sempre  muito aclamados pelas mais diversas publicações literárias, nomeadamente por The Offing, Prairie Schooner, The Adroit Journal e The Minnesota Review. Assim, não surpreende que também a sua ficção tenha sido bem recebida, recomendada e premiada com uma Menção Especial do Pushcart Prize e com o Prairie Schooner's Jane Geske Award.

Divulgação - A Cura Pós-Parto [Pergaminho]

«A Cura Pós-Parto» ajudará mães e pais a ultrapassar a exaustão e a viver os primeiros tempos do bebé com a energia e alegria que merecem 

O Dr. Oscar Serrallach apresenta um plano com informação especializada sobre os cuidados que o casal deve ter de forma a recuperar e manter a sua saúde e autoestima


Especialista em curas naturais e alternativas aplicadas especificamente à recuperação do parto, o Dr. Oscar Serrallach explica como lidar com a nova rotina que o bebé traz à família, apresentando um plano de micro e macronutrição, de reconstrução hormonal, de sono, de exercício físico e de gestão de tempo, para que a saúde e a autoestima sejam recuperadas e mantidas.
 
Com este livro revelação, o autor oferece ao leitor conselhos e informação especializada – por vezes esquecida noutros livros – sobre os cuidados específicos que os pais, e em especial as mães, devem ter para consigo, ajudando cada casal a ultrapassar a exaustão e a viver os primeiros dias, meses e anos do bebé com a energia e alegria que merecem.

Sinopse

Todos sabemos que a gravidez e o parto são experiências maravilhosas e inesquecíveis, mas também intensamente desgastantes a nível físico, emocional e psicológico. Contudo, uma coisa é saber isto, teoricamente, e outra coisa é saber o que fazer em relação a isso… As mães recentes (e muitas vezes até as mães de crianças já crescidas) têm uma tremenda dificuldade em encontrar tempo e energia para cuidar de si; os cuidados com o bebé têm, naturalmente, prioridade. Mas quanto menos cuidar de si, menos tempo e energia vai ter para o fazer – e menos capacidade vai ter para cuidar bem do seu bebé. A verdade é que o desgaste causado pelo parto e pela gravidez tem características muito específicas – e a cura tem de ser igualmente cuidada.

O Dr. Oscar Serrallach é médico e especialista em curas naturais e alternativas aplicadas especificamente à recuperação do parto. Partindo do conceito de «desgaste pós-parto», termo que usa para designar o tipo de exaustão e desgaste de recursos típico do pós-parto, apresenta um plano de micro a macronutrição, de reconstrução hormonal, de sono, de exercício físico, de gestão de tempo e de trabalho de autoestima que lhe permitirá viver os primeiros dias, meses e anos do seu bebé com toda a energia e alegria que merece! 

Sobre o autor

O Dr. Oscar Serrallach é formado em Medicina Geral e Familiar pela Auckland School of Medicine e especializado em Medicina Nutricional e Ambiental. Dirige um centro de Medicina Integrativa no norte da Austrália e divulga a questão da saúde maternal em alguns dos maiores media de destaque internacionais.

quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

Divulgação - A Alma dos Lugares [Contraponto]

Como os ambientes e a arquitetura influenciam aquilo que somos 


A natureza e o design são muito mais do que meras dimensões espaciais, são extensões dos nossos sentimentos e atitudes. Da próxima vez que entrar num centro comercial vai olhar para o que o rodeia de outra forma.


Todos nós, em algum momento, já experimentámos as mais variadas sensações e sentimentos quando inseridos num determinado ambiente ou espaço. Colin Ellard, professor universitário, especializado em neurociência cognitiva e autor de referência no estudo da psicogeografia, uma disciplina que cruza psicologia, arquitetura e geografia, mostra através do livro A Alma dos Lugares que não é uma mera sensação, que de facto a paisagem e o ambiente alteram o comportamento e influenciam as tomadas de decisão. 

Estudos científicos revelam que a exposição a determinados ambientes exerce influência sobre o que sentimos, sobre nós mesmos ou sobre a forma como tratamos os outros, tendo até mesmo a capacidade de mudar a perceção que temos sobre a passagem do tempo. Não é por acaso que quando confrontados com cenários grandiosos ou fenómenos naturais de grande impacto sejamos levados a
fazer uma reavaliação do relacionamento com o universo e a vida, ou quando se visita um centro comercial se entre num estado quase hipnótico e de menor comedimento, com vontade de gastar dinheiro, ou quando se passeia por um mercado de rua urbano a fervilhar de artigos coloridos e deliciosos aromas de comida isso desperte uma sensação de boa disposição.

 «A subtileza e a mestria com que cada experiência humana pode ser influenciada por cenários construídos nunca foram maiores do que agora. Não só os projetistas e arquitetos têm à sua disposição a variedade mais ampla de materiais e métodos que jamais houve, como também há uma ingerência cada vez maior dos princípios de orientação das ciências humanas – sociologia, psicologia, ciência cognitiva e neurociência – no mundo aplicado do design», explica o autor no livro.  

Sinopse

 O meio envolvente tem uma influência decisiva no ser humano. Afeta os nossos pensamentos, as nossas emoções e a nossa resposta física, quer nos sintamos deslumbrados pelo Grand Canyon ou pela Basílica de São Pedro, em pânico numa sala lotada, ou tentados nos casinos e nos centros comerciais. 

Em A Alma dos Lugares, o psicólogo e investigador na área da neurociência Colin Ellard explica como as nossas casas, os nossos locais de trabalho, as cidades que habitamos e, claro, a natureza nos vêm influenciando ao longo da história, e dá conta de como o cérebro e o corpo respondem de forma diferente aos espaços reais e virtuais. Neste livro fascinante, publicado em vários países, este especialista na dinâmica entre a psicologia, a arquitetura e a geografia – a que chama psicogeografia– analisa também a influência que as tecnologias têm no meio envolvente, questionando o leitor sobre o tipo de mundo que estamos a criar. A Alma dos Lugares é um livro imprescindível para entendermos o nosso tempo e aquilo que somos.

Sobre o autor

Colin Ellard é professor de psicologia, especializado em neurociência cognitiva, na Universidade de Waterloo, no Canadá. Depois de se ter dedicado ao estudo da função espacial da neurociência em animais, passou a investigar a interação entre os humanos e o seu meio envolvente. Analisa os efeitos emocionais da arquitetura, no contexto da qual se dedica a compreender a influência que os meios físicos e imersivos, como a realidade virtual, têm sobre as pessoas. É o autor de referência no estudo da psicogeografia, cujo objetivo é a compreensão do efeito psicológico do design urbano e do stresse próprio das grandes cidades no ser humano.

Divulgação - 6 Minutos para Mudar a Sua Vida [Pergaminho]

«6 Minutos para Mudar a Sua Vida» é a proposta de Dominik Spenst para que cada pessoa consiga dedicar a si mesma o tempo ideal para se conhecer verdadeiramente 

A descoberta e a compreensão interior é um tema complexo, mas cada vez mais explorado por especialistas da área. «6 Minutos para Mudar a Sua Vida» é a proposta de Dominik Spenst, fundador do projeto UrBestSelf, para que cada pessoa consiga dedicar,
diariamente, a si mesma, o tempo ideal para se conhecer verdadeiramente. 

Neste bestseller internacional, que chega às livrarias portuguesas a 11 de janeiro, um dos princípios fundamentais é o do crescimento pessoal através da reflexão diária. Detalhado e explicando os benefícios desta rotina com base em estudos científicos, este guia é um instrumento único, compacto e eficaz, que permite utilizar os fundamentos teóricos de uma forma prática, para resultados a longo prazo. 

Desafiando o leitor a dedicar 3 minutos em cada manhã, e outros 3 ao final do dia, o livro apresenta métodos e espaços apropriados para registar os desafios do dia-a-dia. Simples de seguir, coloca perguntas semanais ao leitor, assim como desafios mensais que o façam refletir e, por conseguinte, sair da sua zona de conforto para uma introspeção simples mas eficiente. 

«Tudo aquilo que pode ser, já está dentro de si», afirma Spenst na introdução do livro, lançando o mote para que, diariamente, cada pessoa construa a sua felicidade e descubra o seu verdadeiro propósito. 

Sinopse

6 minutos por dia: não precisa de mais, mas não se contente com menos. Basta dedicar 6 minutos do seu dia à reflexão, à gratidão e ao mindfulness para ver a felicidade desabrochar na sua vida. Este livro é um workbook prático e inspirador que lhe permitirá cultivar o hábito da felicidade. 
Tire 3 minutos, duas vezes por dia, para pensar e escrever – de manhã:

 • o que o faz sentir gratidão;
 • o que tornaria o seu dia maravilhoso;
 • uma afirmação positiva;
 • e de noite:
 • o que fez de bom por outra pessoa;
 • o que poderia fazer melhor;
 • o que houve de agradável no seu dia.
 
Minuto a minuto, dia a dia, começará a ver o pessimismo e os pensamentos negativos a desvanecerem-se, e a gratidão, a esperança e a tranquilidade serão o seu estado de espírito habitual. 

Sobre o autor

Dominik Spenst é formado em Administração de Empresas. Depois de um grave acidente – em que ficou hospitalizado durante meses –, desenvolveu o então método dos 6 minutos por dia. O livro é um bestseller internacional e atualmente Domink Spenst dirige o projeto UrBestSelf, uma plataforma editorial de livros destinados a desenvolver a criatividade e o bem-estar. 


quarta-feira, 30 de janeiro de 2019

Divulgação - São Paulo, Prisão de Luanda [Guerra e Paz]

São Paulo:
As dores de parto da nação angolana

Carlos Taveira (Piri)
Não Ficção / Memórias
176 páginas · 15x23 · 14,90€
Guerra e Paz, Editores 

Quatro décadas após o golpe de Estado de 1977 em Angola, que roubou a vida a milhares de opositores do regime de Agostinho Neto, entre eles José Van Dúnem irmão da actual ministra da justiça portuguesa , Carlos Taveira, que na época estava preso por pertencer à OCA (Organização Comunista de Angola), lança em livro as dolorosas memórias da Prisão de São Paulo, em Luanda. O relato de um sobrevivente dos assaltos feitos à prisão mais aterradora de Angola.



«– Não te mexas, estás colocado – ouvi alguém gri­tar, com um forte sotaque luandense, ao sair da porta do elevador.
Postado à minha frente, erguia-se um grande militar, em uniforme camuflado, apontando­-me uma Kalashnikov. Um tipo à civil apareceu e espetou-me uma pistola no estômago enquanto o outro me revistava.»

Este é o relato da detenção do autor, em finais de 1976, devido à sua ligação à OCA (Organização Comunista de Angola).  Seguiu-se um período negro para si e para alguns dos seus companheiros, na mais brutal prisão da ditadura angolana, de índole marxista. A partir desse momento, seguiram-se, dentro dos muros de São Paulo, torturas, espancamentos e execuções feitas das formas mais hediondas, por elementos da DISA, a polícia política do regime angolano, e torcionários que desprezavam com soberba toda e qualquer lei.

Uma obra repleta de dor com histórias arrepiantes de maoistas, como Carlos Taveira, que partilharam celas com nitistas, mercenários e indivíduos pró-regime caídos em desgraça.

Memórias descritas com um pormenor impressionante, sem ressentimentos e rancor. Para o autor não faria sentido escrever este livro com «o propósito, nem o desejo, de levantar ressentimentos antigos». «Afinal quase todos os partos das nações fazem-se na dor, e Angola não foi excepção.»

Espaço ainda para um sentido de humor inteligente, inesperado e absolutamente desconcertante. Entre os muitos momentos de terror que viveu e presenciou, o autor brinda-nos com peripécias deliciosas, tais como os jogos de xadrez à distância e as comunicações entre celas feitas através dos nauseabundos tubos das retretes. Exemplos reveladores de como o ser humano se pode adaptar e vencer as adversidades. 

Este é o primeiro livro de Carlos Taveira editado pela Guerra e Paz, Editores.
Antes o autor, radicado no Canadá, publicou os romances Mateus da Costa e os Trilhos de Megumaagee; La traversée des mondes; Mots et marées; Mots et marées: tome 2. Carlos Taveira é ainda autor do livro de poesia De la racine des orages.